quarta-feira, 1 de julho de 2009

Era quando um olhar dizia tudo.


De todas as vezes que ele dizia para eu ir embora, eu ficava na expectativa de ele se lembrar que eu era relevante para a sua continuidade. Não era, não sei se algum dia cheguei a ser. Aproximavam-se demasiado de mim, viam o meu fantasma. Eras tu, meu querido, eras tu. Houve dias em que entrava numa luta interior, cansativa, tal e qual um padre a tirar um demónio do corpo. Eras tu, o meu demónio. E foi esse exorcismo que fui procurando diariamente. Saías, mas voltavas. E quando voltavas, queria que saísses. Intentava recuperar o fôlego de ti, mas vinhas sempre numa porção ainda maior. O que fazer? Fugir de ti, de todas as tuas premonições, de todas as tuas maldades e sentir. Fugir de ti, como o diabo foge da cruz. Fugir de ti e ir sentindo que é o melhor. Fugir de ti e sentir que é o pior. Expirar agora! Já foste, é como se nunca cá estivesses estado. É triste, fui obrigada a deixar ir o meu demónio de estimação. É um Adeus obrigado, é um Adeus à tua maneira, é um Adeus medíocre, tal e qual o teu espírito de sacrifício.

“Adeus! Não afastes os teus olhos dos meus.”

6 comentários:

ClaudiaMar disse...

Mais um texto muito bem conseguido! Não páres ;)
Kiss

Joana ' disse...

Tu e a tua capacidade de criar textos magníficos...
Fico sempre encantada quando visito o teu blog (o que faço com bastante regularidade) :D

Beijinhos querida

Joana ' disse...

O problema é quando esse orgulho te impede de fazer algo... Algo do qual pode estar dependente a minha felicidade... Ou não!

E não precisas de agradecer minha querida *.*

Joana ' disse...

De nada querida...
Decidi dar-te esse miminho porque acho que mereces! :)
Fico contente por saber que já arranjaste força nos meus comentários... é mútuo como já te havia dito!

Somos as fieis seguidoras uma da outra :b

Beijinhos querida

André disse...

Ena, mais uma vez fui arrebatado pela força inequívoca que as tuas palavras ostentam.

Mais uma vez, um texto com capacidade de fazer com que olhemos para nós próprios e para os nossos sentimentos através dos teus. A mim fez-me viajar no tempo, afinal que é que já não teve de apagar alguém de um sítio muito especial de onde não se pretende nem sequer desviar um milímetro, ou também quem é que já não teve no outro lado da barricada e ter que dizer a alguém para partir, são sem dúvida sempre sentimentos dolorosos, que deixam marcas profundas, que por vezes nem o tempo consegue curar, apagar por completo.
Gosto tanto do modo que compões cada frase como consegues cativar e prender o leitor, muitíssimo profundo, conquista facilmente.
Não pares de continuar a surpreender com essa capacidade criativa. ; D

P.S. – Ainda bem que gostas-te assim tanto do resultado final da alteração e da nova imagem, também foi pelos que me acompanham que decidi alterar, para proporcionar uma melhoria constante. ; D Concordo de todo contigo em relação à imensa falta de brilho e de cor nas nossas vidas diárias, assim contribui para uma melhoria nesse sentido, espero que resulte lol ;

Beijinho grande*

ADEK disse...

Gosto tanto de ler-te!!!*